O governo da Bahia estuda fazer mudanças no atual plano de assistência a saúde do servidor público estadual, o Planserv. As mudanças incluem a possibilidade de viabilização de um “Hospital do Servidor Estadual”.

Um dos argumentos do governador Rui Costa (PT) ao anunciar a medida nesta segunda-feira (16) foi de que o modelo foi adotado e aprovado por outros estados brasileiros. Um dos modelos referência é o utilizado pelo estado de São Paulo, que possui o dobro de usuários da Bahia e ainda assim gasta menos com a cobertura de saúde dos servidores. Enquanto o Planserv contou com uma receita superior a R$ 1,5 bilhão em 2018, investido no custeio das consultas, exames e demais procedimentos médicos para os 517 mil beneficiários. O orçamento da estrutura de assistência à saúde do servidor do estado de São Paulo no mesmo período, segundo consta na Lei Orçamentária, foi de R$ 1,2 bilhão para fornecimento de serviços de saúde aos seus 1,3 milhão de usuários, mais que o dobro do número de beneficiários baianos.

A intenção do Executivo baiano, de acordo com o governador, é de chamar os sindicatos dos servidores e dialogar sobre as mudanças. O petista destacou que estudos estão sendo feitos e possibilidades detalhadas para que se chegue “em opções sem elevar custo e a qualidade do atendimento”.

Entre as possibilidades de mudança está a de ter um hospital próprio do Planserv. Alguns estados optaram por isso e nós estamos chegando a conclusão de que talvez seja a melhor solução ter um hospital novinho em folha, de alto padrão, para atender aos servidores estaduais. Mas nós vamos fazer isso dialogando com todas as entidades”, afirmou Rui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here